Aqui, lê-se, drama e doçura.

Escrevo meus porquês, sem poréns e sem vírgulas.
Meu mundo é perigoso e opcional.
Sou liberta de correntes.
Vivo.

Deixo ser
Deixo estar
Deixo a vida passar
- Observo enquanto escrevo.
Transformo vivência em palavras
e -
Deixo as palavras invadirem o espaço.

Vendo a vida passar; e escrevendo entre aspas.
(Aqui, lê-se, drama e doçura.)

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Poeminha do Subsolo

O suspiro do poeta já dizia
que dentre todos os seus pontos
o silêncio que faz poesia

E quando sobra apenas contos
que não há de deixar pra lá
o leitor que lê de apronto
calha a transbordar

As palavras que não são lidas
quiçá ouvidas
mostram sempre a direção
desestruturando as vigas
da alma
e do coração.

2 comentários:

  1. Essa música se tornou meu "background" para tudo.

    ResponderExcluir
  2. Essa música é meu background para tudo.

    ResponderExcluir